domingo, 26 de abril de 2015

TMG comemorou 10 anos: Marco Loureiro, "O TMG é um precioso bem Cultural dos Guardenses!"

*Texto retirado do Jornal Semanário Terras da Beira | Edição: 23/04/15

No Passado, Presente e no Futuro… 
O TMG é um precioso bem Cultural dos Guardenses! 

Decorridos 10 anos sobre a sua inauguração em 25 de abril de 2005, o Teatro Municipal da Guarda (TMG) apesar de muitas das vezes não receber o seu devido valor, conseguiu ultrapassar todos os obstáculos que aparecem quando de novidade se trata, ou seja, ainda estranho (sim, porque cultura ainda não chega a todos!).  
Para a comunidade local, independentemente das idades, quer sejam jovens ou mais velhos, o TMG como espaço cultural ajuda no seu desenvolvimento e formação, despertando um desejo pelo conhecimento, sendo que de uma simples peça, pode-se aprender muito e até ensinar várias lições.  
É notório, dia após dia, que o teatro é fundamental na formação cultural de qualquer pessoa, já que ele também nos faz conhecer um pouco mais sobre a nossa própria cultura, apesar de muitos não darem o seu devido valor.
Passado uma década da sua existência, é hora de olharmos o caminho percorrido e de esperar que sejam lançados novos projetos, abrindo novos horizontes, que transmitam esperança e acima de tudo, futuro para esta entidade cultural.
Para isso, espera-se que seja concebida uma programação mais diversificada, direcionada para vários tipos de público, englobando diferentes vertentes das artes cénicas e performativas, onde o teatro, a dança, os espetáculos musicais, os concertos de música clássica, complementando com espetáculos de rua, cheguem a todos, independentemente das suas habilitações e situação socioeconómica, procurando assim contribuir para a fidelização de públicos e elevar o nível cultural das populações.
Contudo, as recentes declarações proferidas pelo Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, que afirmou a impossibilidade da autarquia continuar a suportar os elevados custos de funcionamento do TMG, deixam no ar, um sinal de preocupação e de incerteza sobre o futuro deste espaço cultural. 
E como se não bastasse, ainda anunciou que de 15 de Julho a 15 de Agosto, o equipamento cultural irá fechar ao público. 
Assim sendo, com esta decisão, a autarquia não está mais do que a reconhecer, que a cidade da Guarda, neste período, fica com menos habitantes. 
Porém, se é verdade que muitos Guardenses optam por passar férias fora da cidade, seria muito mais pertinente e construtivo, que o senhor Presidente tomasse medidas atrativas para que os emigrantes que enchem nesta época as nossa aldeias, venham também ao centro da cidade, bem como atrair mais turistas, para que assim não seja necessário colocar trancas na CULTURA!   
Resta-me felicitar mais uma vez o Teatro Municipal da Guarda, esperando sinceramente, poder continuar a fazê-lo ano após ano, num claro desejo de que o mesmo perdure no tempo!

Marco Loureiro
(Deputado Municipal e Dirigente Distrital do BE - Guarda)          

sábado, 11 de abril de 2015

Guarda recebe o Encontro do Interior "Não desistimos de viver aqui!"

No dia 18 de abril, o Bloco de Esquerda organiza uma jornada de debates e propostas para o futuro das regiões do interior português. O Encontro "Não desistimos de viver aqui!" tem início às 11h no Auditório do Paço da Cultura, na GuardaVer programa aqui. Grande parte do território português está a passar por um momento depressivo, marcado por despovoamento e empobrecimento. Mais de metade dos municípios, 164, estão na lista do Portugal dos territórios de baixa densidade.
 
Encerramentos e diminuição de valências no ensino público, no sistema nacional de saúde, na justiça bem como a diminuição de transferências para os municípios e freguesias estão a aumentar as assimetrias regionais.
 
Estes concelhos e distritos do Portugal de “baixa densidade” precisam urgentemente de soluções que permitam dar a volta e encerrar este ciclo que obriga os nossos concidadãos a emigrar. É este debate que o Bloco de Esquerda se propõe a fazer neste encontro, marcado pelo Grupo de Trabalho do Interior, dia 18 de Abril, com início às 11 horas.
 
Porque Não Desistimos de Viver Aqui, contamos com a participação de todos e todas os que querem contribuir para um Portugal mais igualitário.